A Caixa não é de Pandora (Lei Rouanet)

Project

A Caixa não é de Pandora (Lei Rouanet)

Espetáculo “A Caixa não é de Pandora” celebra 30 anos de carreira de Andrea Elia

Financiado pelo Grupo LM e inspirado na obra de Virgina Woolf, monólogo trata do universo feminino e estreia dia 12 de março no II Festival Bahia em Cena

A crise de uma contadora de histórias de amor é a trama escolhida pela atriz Andrea Elia para celebrar seus 30 anos de carreira. Intitulado “A Caixa não é de Pandora”, o monólogo é escrito pela própria atriz em parceria com Elísio Lopes Jr., que também assina a direção artística. O projeto é patrocinado pelo Grupo LM através do Fazcultura, e explora com densidade temas do universo feminino.

Primeiro monólogo de Andrea Elia, o espetáculo apresenta a personagem Pandora Lobo, escritora de sucesso internacional. Ao ser convidada para proferir uma palestra para uma plateia de acadêmicos, Pandora é obrigada a revisitar toda a sua obra e se depara com personagens fragmentadas e histórias de amor previsíveis e enfadonhas. A mulher, a ficção e a fricção é o título da fala de Pandora, um convite para refletir e libertar todas as mulheres que existem dentro dela.

Com o mote inspirado no livro Um Teto Todo Seu, de Virginia Woolf, “A Caixa não é de Pandora” oferece ao público a possibilidade de mergulhar no universo feminino através de várias referências históricas e da literatura, do cinema e do teatro. A montagem explora recursos de vídeo e metalinguagem, e conta com a direção musical de Marcio Mello, a cenografia de Renata Motta, o figurino de Ismael Soudam com calçado de Franco Aliperti.

O monólogo tem sua estreia no II Festival Bahia em Cena, dia 12 de março (quarta-feira), às 20h, no Teatro Jorge Amado (Pituba), na abertura do II Festival Bahia em Cena, ficando em cartaz entre os dias 14 e 30 de março (de sexta a domingo), às 21h. Em abril entra em cartaz no Teatro Módulo. Em setembro, o espetáculo segue para Porto Alegre.

A montagem conta com o patrocínio do Grupo LM, através da Lei Rouanet do Ministério da Cultura, e com a produção da Multi Planejamento Cultural. O Grupo LM é constituído pela LM, que atua no segmento de frotas corporativas, pela concessionária Bravo Caminhões e Ônibus Volkswagen e MAN, e também pela AuraBrasil, locação de máquinas e equipamentos.

 

SERVIÇO

“A Caixa Não é de Pandora”, monólogo com Andrea Elia

Escrito por Andrea Elia e Elísio Lopes Jr.

Direção de Elísio Lopes Jr.

Estreia: 12 de março de 2014 (quarta-feira), às 20h

Teatro Jorge Amado (Av. Manoel Dias da Silva, 2177. Pituba)

Ingressos: R$20 | R$10

Classificação: 14 anos

 

A CAIXA NÃO É DE PANDORA – sinopse

Pandora Lobo é uma romancista de sucesso, só comparada no Brasil a grandes recordistas de vendas como Paulo Coelho. Com mais de 15 anos de carreira, ela se orgulha dos seus 20 livros com belas histórias de amor, previsíveis e com finais felizes.

Tudo isso é questionado quando ela é convidada para fazer uma palestra sobre “A mulher e a ficção” e se depara com a fragilidade da sua obra. Questões como as muitas mulheres que toda mulher mantém dentro de si, a síndrome da culpa por tudo, os dilemas da vida moderna, entre a família e o trabalho, os sonhos e a realidade – tudo vem à cena a partir de personagens da obra de Pandora.

Entre a concretude e a aspereza da palestra que Pandora Lobo profere, e o seu mundo interno e fantasioso, o público tem a possibilidade de conhecer o íntimo dessa mulher. Com uma performance densa, Pandora vai se revelando ao público, permitindo que o expectador participe dessa viagem e conheça as mulheres por trás da escritora.

 

BAHIA EM CENA

Pelo segundo ano, o Festival Bahia em Cena será realizado com o objetivo de dar visibilidade a espetáculos teatrais baianos, trazendo montagens de destaque na cena teatral baiana de volta ao circuito comercial. A mostra acontecerá no período de 13 a 30 de março, marcando o Mês do Teatro e do Circo. Retornam aos palcos as peças: A Dona da História, Dissidente, Amnésis – Uma Busca Intencional pela Lembrança, Solo Almodovar e o infantil Remendo Remendó. Além de A Caixa não é de Pandora, o espetáculo Quarteto será uma das estreias do evento.

Nesta segunda edição, o Bahia em Cena fechou uma parceria com o Festival Porto Alegre em Cena e promoverá a ida dos dois espetáculos inéditos dentro da Mostra Oficial gaúcha, também em 2014. De acordo com Fernanda Bezerra, coordenadora de projetos da Multi Planejamento Cultural, idealizadora do festival, “o Bahia em Cena pretende incentivar a difusão e circulação dos espetáculos produzidos na Bahia. Esta parceria com o Porto Alegre Em cena será uma iniciativa a mais com foco em difusão do teatro baiano para além das fronteiras do nosso estado”. O Bahia em Cena é viabilizado por meio de patrocínio da Chesf, através do Fazcultura, e do Grupo TPC, pela Rouanet.

 

SOBRE O GRUPO LM

A empresa, com mais de 35 anos de atuação, acredita na economia criativa como ferramenta de transformação cultural e social. Com filiais nas principais capitais do país, o Grupo LM (www.grupolm.com.br) é constituído pela LM, que atua no segmento de terceirização de frotas corporativas, pela concessionária Bravo Caminhões e Ônibus Volkswagen e MAN, e também pela AuraBrasil, que atua na área de locação de máquinas e equipamentos. Seu modelo de gestão tem como meta a satisfação de seus clientes, o que faz do grupo empresarial um dos maiores do Brasil e sua marca representa as iniciais do seu presidente e fundador, Luiz Mendonça Filho.

 

SUGESTÃO DE ENTREVISTA:

– Andrea Elia

Atriz, diretora teatral e professora do Curso ATO de Teatro, em 2014 Andréa Elia celebra 30 anos de carreira. Conhecida por trazer ao palco personagens fortes e emblemáticos, foi vencedora do Prêmio Braskem de Teatro na categoria melhor atriz em 2010 pelo espetáculo “As Velhas”, de Luiz Marfuz. Sua indicação mais recente foi pelo espetáculo “O Sumiço da Santa”, em outubro de 2012, com direção de Fernando Guerreiro, que marcou a reabertura do Teatro Acbeu. Foi indicada ao Premio Braskem de Teatro por suas atuações por oito anos consecutivos. Há 03 anos interpreta Maria Madalena na Paixão de Cristo, evento que integra o calendário oficial da cidade. Em julho de 2013 interpretou a heroína Maria Quitéria no: “02 de Julho – A Ópera da Independência”, ambos com direção de Paulo Dourado.  Atuante há trinta anos na cena cultural baiana, foi dirigida por grande parte dos diretores teatrais baianos e entre as atuações de destaque estão: Boca de Ouro, Um Bonde Chamado Desejo – Fernando Guerreiro e A Prostituta Respeitosa – Márcio Meirelles, O Beijo no Asfalto e Carne Fraca – Fernando Guerreiro, Não Vamos Falar Nisso Agora – Celso Jr. e A Morte de Quincas Berro d’Água – Paulo Dourado. Há dez anos está a frente do Curso ATO de Teatro que concorre este ano ao Premio Braskem de Teatro na categoria melhor espetáculo infanto-juvenil. O ATO é responsável pela formação de uma nova geração de atores e aprimora a comunicação de profissionais liberais, integrando o Teatro ao ambiente corporativo, a exemplo do Grupo LM em que Andréa há cinco anos desenvolve um projeto cultural com seus funcionários, O Grupo LM sela a parceria de sucesso com Andréa patrocinando seu monólogo comemorativo de 30 anos de carreira: “A Caixa não é de Pandora”.

 

– Elísio Lopes Jr.

Baiano, natural de Salvador, Elísio Lopes Jr é graduado em Relações Públicas pela Unifacs, fez pós-graduação em Fotografia, Cinema, Vídeo e Mídias Digitais na Ufba, e mestrado em Comunicação, Cultura e Sociedade também pela Ufba, Elísio foi, a partir de junho de 2009, Diretor de Fomento e Promoção da Cultura Afro-brasileira na Fundação Cultural Palmares, órgão vinculado ao Ministério da Cultura brasileiro. Em 2010, escalou a seleção cultural do Brasil na Copa do Mundo na África do Sul. Atualmente, além de pesquisador do Terceiro Setor, é dramaturgo, roteirista, diretor teatral e artístico. No seu currículo, conta-se mais de 20 peças de teatro lançadas em várias cidades do Brasil, entre as quais: Se Acaso Você Chegasse (direção de Antônio Marques – BA/2010), Escândalo (dir Fernando Guerreiro – BA/2009), Amores Bárbaros (dirigida por ele mesmo – BA/2006), H2O – Uma Fórmula de Amor (José Pando – SP/2005; Prêmio Braskem de Melhor Espetáculo Infantil).

Como diretor artístico, Elísio deu nova roupagem aos seguintes eventos:

– Inauguração da Arena Fonte Nova, em Salvador (7/abril/2013)

– Pérolas Mistas – projeto idealizado por Carlinhos Brown, que reuniu diversos blocos afros baianos, em Salvador, no verão de 2014, homenageando o cancioneiro popular e buscando rever grupos folclóricos quase extintos na cidade. O evento era realizado em 3 atos, mesclando elementos de teatro e música com o auxílio da Orquestra de Câmara de Salvador, maestro Ângelo Rafael

– Prêmio Braskem de Teatro (Teatro Castro Alves – BA – 2013)

– Gravação do DVD de Saulo Fernandes (Concha Acústica – Salvador – BA – 2013)

Author

Fagner

Date

1 de Maio de 2017

Tags

leirouanet , peça , teatro