Ary Dias e Fernando Moura – lançamento “CosmeDamião”

Project

Ary Dias e Fernando Moura – lançamento “CosmeDamião”

Ary Dias (A Cor do Som) e Fernando Moura lançam disco em Salvador

“CosmeDamião” é resultado da parceria entre o percussionista e o pianista, que se apresentam no Teatro Moliére (Aliança Francesa)

 

O percussionista Ary Dias (A Cor do Som) e o pianista Fernando Moura fazem show de lançamento do CD “CosmeDamião” em Salvador, dia 11 dezembro (terça-feira). O público poderá conferir a apresentação a partir das 20h no Teatro Moliére, na Aliança Francesa, com ingressos a R$20 (inteira).

Trata-se de um encontro inusitado do piano com a percussão de dois grandes músicos, um som cheio de levadas e ritmos bem brasileiros. Ary construiu uma caixa de tambores (que ele deu o nome de ‘caixambor’), especialmente para timbrar com o piano vigoroso e canhoto do Fernando, habitué em trilhas para cinema, teatro e TV.

Confira abaixo informações mais detalhadas sobre o disco “CosmeDamião” e os músicos Ary Dias e Fernando Moura.

SERVIÇO

Lançamento do disco “CosmeDamião”

Local: Teatro Molière – Aliança Francesa – Av. Sete de Setembro, 401 – Ladeira da Barra – Salvador
Informações: (71) 3336.7599
Data: 11 de dezembro – terça-feira
Entrada: R$ 20,00 e R$ 10,00
Horário: 20h
Classificação: Livre

Fernando Moura & Ary Dias

Com décadas de estrada, os dois já sabiam o que fazer. Entraram no estúdio, alguém ligou o metrônomo, a maquininha que orienta o andamento musical, “1, 2, 3” e… nada. Repetiram a operação algumas vezes, em vão. Aí tentaram tocar sem aquele tique-taque, sem as amarras do tempo ditado por uma engenhoca – importante, mas uma engenhoca –, e finalmente o pau comeu. Não poderia ter sido de outro jeito. Afinal, o pianista Fernando Moura e o baterista e percussionista Ary Dias decidiram unir seus talentos pelo único e exclusivo prazer de fazer a música deles. Do jeito que eles queriam. Assim nasceram as treze faixas do CD CosmeDamião, repletas de suingue, improviso e divisões arriscadas, daquelas que deleitam quem toca e quem ouve, pelo que têm de simples, saborosas e inovadoras.

Moura é carioca. Instrumentista de formação erudita, foi seduzido pela música popular e multiplicou-se. Já acompanhou inúmeros colegas ilustres, de Moraes Moreira a Marisa Monte, passando por lendas do porte do guitarrista americano Chuck “o pai do rock” Berry e do produtor inglês George “o quinto beatle” Martin, ambos em históricas apresentações no Brasil. No estúdio, é um requisitado criador de temas, vinhetas e trilhas para TV e cinema. Ary é baiano. Tornou-se mais conhecido como o responsável pela percussão risonha e franca do grupo A Cor do Som, estouro do pop nacional na virada dos anos 70 para os 80. Também emprestou seu virtuosismo a bandas alheias, como as de Gilberto Gil, Jorge Ben Jor e Rita Lee. Antes disso tudo, em sua terra natal, foi um dos fundadores do Conjunto de Música Contemporânea da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Também integrou a Orquestra Sinfônica da Bahia e trabalhou com o suíço Walter Smetak (1913-1984), revolucionário inventor de sons e instrumentos que influenciou os tropicalistas. Ary vem de longe.

“CosmeDamião”

Em CosmeDamião, temas de Tudo Piano, o álbum anterior de Moura que encantou Ary, entraram naturalmente. Amizade, Sumatra e Pedra do Leme nasceram originalmente das teclas brancas e pretas e dos recursos de computador. Agora, o aparato digital dá lugar ao calor de instrumentos como cajón, calimba, cuíca, tamborim, triângulo e prato, além do “caixambor”, usados de forma original por Ary Dias. O pianista Antonio Adolfo, pioneiro da música independente no Brasil, ouviu o trabalho e decretou: “um estilo se funde com o outro, tem um pouco de baião, um pouco de samba. Mas, quando você tenta definir, se estrepa ao ouvir o triângulo, muito usado na música nordestina, tocando samba”. Na mosca. A farra se estende por clássicos do jazz (Armando’s Rhumba, de Chick Corea) e da música brasileira (Água de Beber, de Tom Jobim), antes de desaguar em composições próprias. Estão lá também a primeira parceria da dupla, a faixa-título CosmeDamião, e 44 do Segundo, ideia de um empolgado Moura surgida nos últimos momentos de gravação. Dias comparece com a singela Atenção e, em momento único do CD, solta a voz na arrepiante Afro Bebê, inspirada em ponto de candomblé que ouvia na infância. De tão bonita, a canção volta no final do disco em versão bônus, com arranjo de cordas. Ficou o fino.

TEXTO DE PEDRO TINOCO (jornalista)

Informações à imprensa

Assessoria de Imprensa Fernando Moura &Ary Dias:
Nanda Dias e Nani Santoro
nandadias15@uol.com.br – 21 -9764.0655
nanisantoro@uol.com.br – 21- 3324.5200 / 9855.1939

Author

Ana Camila

Date

7 de Maio de 2017

Category

Tags