Exposição “Memórias do Concílio de Trento”

Project

Exposição “Memórias do Concílio de Trento”

Artista plástico italiano expõe em Salvador no Museu de Arte Sacra

Em fevereiro e março, Flavio Marzadro apresenta obras que recortam pedaços da história do Concilio de Trento

 

Com sua arte sensível e de forte dimensão sociológica, o artista plástico italiano Flavio Marzadro apresenta nos meses de fevereiro e março, em Salvador, a mostra “Memórias do Concilio de Trento: elementos de micro-história”. A exposição é gratuita e se realiza no Museu de Arte Sacra (no 2 de Julho). A abertura acontece no dia 19 de fevereiro (terça-feira), às 19h.

Nesta mostra, Flavio Marzadro recorta pedaços da história e nos confronta com o que conhecemos do Concílio de Trento como evento histórico. Com esta experiência, o artista faz ainda um mergulho em seus antepassados, pois, mesmo que radicado no Brasil há pouco mais de três anos, continua com fortes vínculos com Trento, sua região natal, situada no norte da Itália.

A curadoria de Lêda Doborah selecionou um conjunto de obras de Marzadro que explora poeticamente a relação entre o homem trentino e suas memórias em um período tão marcante para aquela sociedade, mas também para toda a cultura ocidental. Esta relação é problematizada através da apresentação descontextualizada e revisitada de representações de artefatos que compuseram a cultura material ou a micro-história do Concílio de Trento.

A partir deste conceito, o artista Flavio Marzadro busca, segundo suas próprias palavras, “ver, ler, revelar e intervir poeticamente sobre os significados que estão nas coisas, artefatos da cultura material, que estão esquecidos, invisíveis, por hábito, preguiça ou cegueira social”.

AS OBRAS

Para esta Mostra, a curadora Lêda Deborah e o artista Flavio Marzadro selecionaram 18 obras de arte que expressam, revelam e discutem fragmentos micro-históricos das memórias de uso do Concílio de Trento. As obras de arte foram divididas em três grandes grupos: um primeiro formado por quadros bidimensionais em técnica mista, construídos a partir do artefato material pavimentação das igrejas do Concílio de Trento; um segundo formado por baixo-relevo em gesso e cimento que nos fazem mergulhar nos sentimentos cotidianos e angustiantes daquele período de forte transformação sociocultural; e um terceiro de reflexão sobre o próprio processo de produção artística de Marzadro.

CONFERÊNCIAS

Como parte da mostra, o artista e também pesquisador projetou um Ciclo de Conferências associado ao mesmo tema da exposição: a influência do Concílio de Trento na arquitetura e nas artes. Serão quatro mesas de debate, uma por cada semana de realização da Mostra, sempre às quartas-feiras, com temas que se complementam e ampliam a discussão proposta, todas mediadas pelo artista. Os temas são: a importância do Concilio de Trento na História (dia 20/02), na Arquitetura Lusobrasileira (27/02), nas artes no Brasil (06/03) e na música barroca (13/03). As conferências serão ministradas por pesquisadores das respectivas áreas, da UFBA, UFRB e da Universidade Católica do Salvador, entre os quais Eugenio Lins, Lula Carvalho, Mauricio Bentes e Neila Marcial.

Todas as conferências serão realizadas no Museu de Arte Sacra da UFBA e a realização também será uma atividade de extensão do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia.

 

SERVIÇO

Exposição “Memórias do Concilio de Trento: elementos de micro-história”, de Flavio Marzadro

Local: Museu de Arte Sacra da Bahia (Rua Sodré, 276 – Dois de Julho). Telefone: (71) 3243-6511

Abertura: 19 de fevereiro de 2013 (terça-feira), às 19h

Período de Visitação:

20 de fevereiro a 18 de março de 2013 (seg a sex), das 11h30 às 17h30

Visitação gratuita

 

Informações à imprensa:

Ana Camila | (71) 9148-4281 | contato@anacamila.com

Maria Clara Lima | (71) 8111-8417 | mariaclara.lima@gmail.com

 

***

Sobre o Concílio de Trento

O Concílio de Trento foi um acontecimento histórico da Igreja Católica, realizado entre 1545 e 1563, em reação a difusão do protestantismo na Europa, que promoveu uma grande reforma nas bases do catolicismo, chamada de Contra-Reforma. Para opor-se ao protestantismo, o concílio emitiu numerosos decretos disciplinares e especificou claramente as doutrinas católicas, como a salvação, os sete sacramentos (por exemplo, confirmou a presença de Cristo na Eucaristia), a doutrina da graça e do pecado original, a liturgia e o valor e importância da Missa, o celibato clerical, a hierarquia católica, o culto dos santos, das relíquias e das imagens, , o cânone bíblico (reafirmou como autêntica a Vulgata), as indulgências e a natureza da Igreja.

 

Sobre o Artista

Artista italiano, Flavio Marzadro teve sua primeira formação acadêmica como sociólogo, pela renomada Università degli Studi Di Trento (1999), período durante o qual se dedicou à sociologia da arte, aprofundando seus conhecimentos teóricos para a sua prática artística e afirmando-se como artista pesquisador. A partir de então, colaborou com diferentes instituições que lidavam com imagem e identidade, investigando seus processos de criação, seja na Itália que em Londres, onde morou por alguns anos.

Sua formação prática em artes começa, assim, a partir dos seus estudos teóricos, sempre associada a linhas de pesquisa e intervenção socioartística. Flavio Marzadro revelou-se desde cedo como um artista interessado na matéria, tanto do ponto de vista da plasticidade, quanto do ponto de vista da sua historicidade.

Seus estudos envolveram diferentes cursos de formação (muitos em cerâmica, com maestri de Faenza e Venezia; outros em vídeo, outros em monotipia; etc), viagens de estudos, exposições coletivas (Faenza, Rapino, Venezia) e experiências em grupos de práticas de arte. Sua produção artística está construida em cima de uma intensa busca por coerência com seus percursos de pesquisa, explorando no limite de diferentes materiais, como a cerâmica, o gesso e o silicone.

Author

Ana Camila

Date

7 de Maio de 2017

Category

Tags