Projeto “Grande Área” (MinC / Funarte)

Project

Projeto “Grande Área” (MinC / Funarte)

Projeto “Grande Área” promove intercâmbio entre grafiteiros em Salvador

  • Grupo ACIDUM (CE) e Derlon Almeida (PE) se unem a Samuca Santos (BA) e Tárcio Vasconcelos (BA) para intervenção nas ruas da capital baiana
  • Ideia é promover intercâmbio e troca de experiências em uma das regiões mais criativas do país na arte do grafite

 

Acontece em Salvador, entre os dias 6 e 12 de julho, o Projeto Grande Área 2014, realizado pelo Ministério da Cultura (MINC), Funarte e Fase 10 Ação Contemporânea. A ação promoverá um intercâmbio entre consagrados grafiteiros de diferentes estados do Nordeste, hoje considerado uma das áreas mais criativas do país na arte do grafite.

Estarão na capital baiana para participar do projeto a dupla ACIDUM, de Fortaleza, formada pelos artistas Robézio e Tereza, e o grafiteiro Derlon Almeida, oriundo do Recife. Ao lado dos baianos Samuca Santos e Tárcio Vasconcelos, eles grafitarão um muro no bairro do Aquidabã, diariamente, das 9h às 17h, até sábado (12).

Os baianos Samuca e Tárcio iniciarão a pintura no domingo (6) e, a partir de segunda (7), o pernambucano Derlon marca presença. Já a dupla ACIDUM se une aos artistas a partir de quarta-feira (9).

O Grande Área acontece entre junho e julho em seis capitais brasileiras, com ações envolvendo 13 participantes, entre artistas e coletivos, cujos repertórios transitam pelas diversas linguagens presentes hoje no campo das artes visuais contemporâneas, com destaque para Intervenções Urbanas, Projeções em grande escala, Performances, Videoarte e Grafite. Com curadoria de Xico Chaves e Luiza Interlenghi, a ação em Salvador permeia o tema “a arte pública com expressões do grafite nordestino”.

O projeto Grande Área tem como foco a difusão das artes visuais contemporâneas, valorizando a produção de artistas brasileiros residentes em diferentes estados, que desenvolvem os seus trabalhos na fronteira com outras manifestações artísticas, tais como o teatro, o cinema e a poesia. A proposta é valorizar manifestações artísticas experimentais, ampliando o alcance do público para possibilidades artísticas instigantes e transversalizadas. O Grande Área acontecerá em cidades onde o Ministério da Cultura (MINC) e a Funarte possuem representações: Belo Horizonte, Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

 

SERVIÇO

Projeto Grande Área 2014

De 11 de junho a 31 de julho de 2014

Locais: Belo Horizonte, Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo

Assessoria de imprensa (coordenação)
e-scrita comunicação
Júnia Azevedo
(21) 2122 3029 / 9 9124 6358
junia@escritacomunicacao.com.br

 

 

Ação em Salvador

Grupo ACIDUM (Fortaleza/CE), Derlon Almeida (Recife/PE), Samuca Santos (BA) e Tárcio Vasconcelos (BA).

Entre os dias 07 e 12 de julho de 2014

Local: Aquidabã.

Horário: das 9h às 17h

Fotos em alta resolução: https://www.flickr.com/photos/anacamilacom/sets/72157645037122050/

 

Assessoria de Imprensa (Salvador)

Flavia Vasconcelos | (71) 8666-1535 | jornalismo.flavia@gmail.com

Ana Camila | (71) 9148-4281 | 8771-2243 | contato@anacamila.com

 

Sobre o Grupo ACIDUM (Fortaleza/CE)

O Acidum é um projeto de coletivo nascido na cidade de Fortaleza-CE, que vem realizando trabalhos referentes à Arte Urbana. Criado pelo artista Robézio (a.k.a AC/D1), em 2006, já realizou diversas proposta de ações e interações coletivas com outros artistas pelo Brasil, tendo fechado uma primeira fase de cinco anos de experiência com mais uma ação no suporte de uma publicação (livro/obra), intitulada “Entregue às Moscas”, em outubro de 2011. Hoje, as ações do Acidum seguem encabeçadas pelo casal Terezadequinta e Robézio, assumindo vários trânsitos e facetas de atuação, além de ações colaborativas entre si, e com outros artistas em projetos diversos. Seja com murais, design, fotografia, grafite, Lambe-Lambe, Tatuagem, Stickers, Stencils, projetos áudio visuais ou exposições, o coletivo deixa uma de suas marcas principais que é o experimentalismo e sua matriz de inspiração na arte urbana.

 

CONTATOS: http://grupoacidum.art.br/

Robézio: +55 85 8698-0690

Tereza: +55 85 8505-3265

 

Sobre Derlon Almeida (Recife/PE)

A partir de pesquisas sobre a xilogravura popular e a Street Art desenvolveu obras com a influência da fundição desses dois gêneros da Arte Popular, criando um novo projeto de linguagem Contemporânea incorporando, nas obras, elementos do grafite e da xilogravura, estendendo os dois campos de atuação e subvertendo ambos os meios. Dessa maneira, desenvolve uma arte urbana com grafite e cartazes. Com poucas e contrastantes cores, apropriação da estética da xilogravura, criou uma simbiose da intervenção urbana com um dos principais meios de comunicação impressa da cultura popular

CONTATOS: contato@derlon.com.br l 85 9647-11670 / 11 95277-6780

Sobre Samuca Santos (Salvador/BA)

Samuca Santos, artista plástico grafiteiro, nascido em Salvador, em 1987, demonstrou ainda durante a infância seu interesse pelo mundo das artes visuais. Teve no desenho a primeira forma de expressão. Samuca utiliza o grafite como seu principal meio de expressão plástica, realizando pinturas pelas ruas de Salvador. Atua ainda como arte-educador, utilizando a arte do grafite como ação educativa com crianças e adolescentes residentes em bairros periféricos da cidade, além de estudantes de escolas e ONGS.

CONTATOS: samuel_ru18@yahoo.com.br | 71 9196-8315

http://samucasantoss.blogspot.com.br/

 

Sobre Tarcio Vasconcelos (Salvador/BA)

Sob a alcunha TarcioV, o artista destaca em seu trabalho a força e expressão das figuras humanas e suas relações no espaço em que se dispõem. Utiliza traços e tem o desenho como maior influência para executar seus trabalhos nas ruas. Em cada muro ou qualquer outro suporte, propõe uma reflexão ao espectador e abre mão das aplicações convencionais. A memória e vivências dos ambientes que frequenta, elementos significativos da cultura popular se mesclam com a ancestralidade e o sentido lúdico em cada trabalho que compõe.

CONTATOS: (71) 8770-2182 | tarciovasconcelos@gmail.com

Blog: http://tarciov.blogspot.com

Flickr: http://www.flickr.com/photos/tarciovm

 

SOBRE OS CURADORES

Quem é Xico Chaves?

Artista multimídia com extensa produção em artes visuais, música, teatro, TV, cinema e poesia, Xico Chaves é um dos principais artífices da cena cultural contemporânea brasileira. Formado em Artes e Ciências da Comunicação pela CEUB – DF, há quatro décadas ele vem trabalhando em múltiplos campos de expressão, forjando a sua trajetória através de linguagens diversificadas. Desde o início de sua trajetória, na década de 70, sua produção esteve centrada na pesquisa de novas formas de expressão, como os poemas gráficos e experimentações no campo da música eletroacústica. Nos anos 80, liderou a criação de alegorias e adereços poético-carnavalescos (artefatos de carnaval), com a fundação do Bloco Suvaco do Cristo e outros. Com o trabalho de pintura com minerais e pigmentos, participou da exposição “Como Vai Você, Geração 80”. Atuou em grandes projetos culturais e em parcerias com artistas como Nelson Felix. Xico é um desses casos raros de artista que se mantém na vanguarda há mais de quatro décadas. Ele trabalha de maneira lúcida e engajada diversas linguagens – pintura, criação de objetos, instalações, performances, intervenções, fotografia, vídeo e poesia, música etc. Como diretor do Centro de Artes Visuais da Funarte, vem contribuindo significativamente para o estímulo, difusão e fomento das artes visuais contemporâneas brasileiras. Xico Chaves participou de mais de 80 exposições nacionais e internacionais. Suas obras fazem parte de coleções como a do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo e a do Museu Nacional de Belas Artes, entre outras.

 

Quem é Luiza Interlenghi?

Crítica de arte, é Mestre em História Social da Cultura, PUC-RJ (1994) e Curatorial Studies, CCS, Bard College, NY (2002). É Professora do Dep. de Artes, PUC-RJ. Pesquisa a produção da arte contemporânea no Brasil nas décadas de 1990 e 2000, com interesse na percepção de instabilidade do campo da arte e nas estratégias dos artistas de intervenção institucional e de redefinição dos espaços da arte. É curadora de Desenlace – Teresa Serrano e Miguel Angel Rìos, Oi Futuro Flamengo, 2013, e de diversas exposições de arte contemporânea. É autora de vários textos para exposições, entre as quais a mostra itinerante Beatriz Milhazes: Um itinerário gráfico, SESC – Nacional (2012). Na Funarte – RJ e SP, curou Da rua que pintura é essa? (2009). Nas Cavalariças da EAV – RJ, co-curou Nudez e Território, Faperj – Edital de Apoio à Produção e Divulgação das Artes no Estado do Rio de Janeiro (2009) e dirigiu a EAV-Parque Lage (2008). Coordenou Exposições Temporárias no Museu Nacional de Belas Artes, (2005-06) onde co-curou Limite como Potência, entre outras exposições. Diretora do MAC-CE (2003-04), criou o Fala de Artista um ciclo de depoimentos e debate sobre a arte cearense e curou as exposições Experimental de intervenções urbanas e de ocupação das galerias do MAC-CE, além de Horas a Fio, de Elida Tessler, com uma grande instalação site-specific. Integrou comissões de seleção e premiação de vários salões de arte. Sua dissertação de mestrado O Jogo de Espaço – As Esculturas de Franz Weissmann em História Social (1994) destaca o período informal, na trajetória do escultor construtivo. Esta etapa, pouco discutida, repercutiu na escala adotada pelo artista e, permitiu a reconsideração da poética neoconcreta. Como projeto de conclusão do mestrado no CCS, NY, curou Shift com trabalhos de Danielle Web, Franklin Cassaro, Fernanda Gomes e Lúcia Koch, voltados para deslocamentos na percepção dos limites institucionais da arte por meio de estratégias simples de intervenção na galeria. Ainda em Nova York realizou a sessão de vídeos Something Nothing – A Passport to the State of Flux e pesquisou o Fluxus, tendo colaborado com Skuta Helgason em Fluxus Genetics, ambos na Art in General (2001). Foi curadora de Stroke, instalação de Ana Linneman na White Box Gallery, NY (2000). Na Funarte (1987- ) coordenou o Projeto Macunaíma, foi curadora e publicou diversos ensaios.

Author

Ana Camila

Date

7 de Maio de 2017

Tags